POSTAGENS RECENTES NO BLOG

ELA NÃO PERDOA!


Ela
Não oferece nada
Nada perdoa

Faz desaparecer
Como trevas expostas à luz
Tal corte da enxada na terra
Riacho na seca

Maldição que tudo consome
Deixando apenas rastros
Esqueletos quase esquecidos
Não fosse uma ou outra
Sombra no impiedoso deserto

Onde um corpo cansado clama
O que a fraqueza traduz
Breve mais um, outro um
Apenas mais um

Será esqueleto quase esquecido
Morto de fome na estrada
Que não levou a lugar algum.

Impiedoso "homem"
Pobre, miserável e nu
O mais cruel das criaturas
Sou eu, somos nós, és tu!
Sandra May



                                                                                                                                                                                                                         
Resultado de imagem para imagem para seca
       Pesquisa da imagem: Internet
                  
               
                    
                             
           
                           
                 
                
                 

6 comentários

  1. Lindo poema !Mostra uma cruel realidade brasileira.Beijos

    ResponderExcluir
  2. Muito bem elaborado poema, num tema real e recorrente, como é a seca nordestina e suas consequências.
    Muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Que força amiga! Força do início ao fim, retratando a realidade que se passa em nosso país. A seca destrói, corrói, mas a força do nordestino é admirável. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nosso povo é tão sofrido...nação jovem ainda,formada com tanta desgraça!

      Excluir

Deixe seu contato para receber notificaçõe por e mail

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...