Translate

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PRIMAVERA DA LIBERDADE


Essa imagem é de um quadro que pintei no ano de 1988, ocasião que comemorava-se o centenário da "libertação" dos escravos no Brasil. O rosto é de minha mãe, que era neta de escravos negros.
Estou postando com uma pequena alteração no colorido, uma vez que posso usar recursos de editor de fotos.  Faço essa postagem hoje por comemorar-se o dia da consciência negra, o que eu vejo como a maior demagogia. Afro-descendentes ou não, todas as pessoas tem direitos e esses não deveriam ser motivos de comemoração. Respeito é obrigação...e lei.

Pintura acrílica sobre madeira (original)

Com alteração do editor de fotos

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

BELEZA!

Olá povo do bem,
Hoje Letras que se movem completa 40.000 visualizações.
São três anos com duas interrupções, bagunça geral, mas persistência...como eu estou sempre em busca de não sei o quê, vou levando!
Antônio Cesar Silva, o parceiro virtual, como você diz: "Valeu"

Sandra May/2014 






FALANDO EM SOL...

É o mesmo sol que derrete a cera e seca a argila.
Antoine de Saint Exupery









Antoine de Saint-Exupéry

terça-feira, 18 de novembro de 2014

SOL

Hoje acordei radiante
Tanto que o sol veio me ver
Como sempre faz
E vi uma pontinha de ciúme
Na cara desse "rapaz"
E, benevolência em seu semblante
Ele pensou: " já vi esse sorriso antes"
Mas acordei tão radiante
Que me dei ao desplante
Não sei se notaram,
De escrever na segunda linha
"sol" e não Sol. Brincadeirinha
É claro como a luz do sol,
que só acordei assim, radiante
Porque deixaram; Deus
E o astro-rei que ele criou...

Antonio César Silva em 18/11/2014  






...e o sol, será eterno novamente.
homenagem a Clara Nunes
Sandra May

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

BEIJO DE AMOR

O que é o beijo
Se não inebriante desejo
De fundir se a um outro alguém
Em brasa ardente
Ou fogo consumidor?

O que faz do beijo
Inebriante regozijo
Do entrelaçar de línguas
Lábios e saliva?
Ser senão apenas um caminho
Que dispensa qualquer sinalização
Estrada sem placa, atalhos sem razão

No gozo
da plenitude alcançada
Saliva rima com mel
E por segundos infinitamente longos
Fazemos juntos uma visita ao céu.

Sandra May/2014








domingo, 16 de novembro de 2014

E NÃO É QUE VOLTEI?


 Faz um tempo, comuniquei que havia encerrado as postagens aqui nesse blog. No entanto para participar de alguns grupos ou mesmo concursos, preciso estar com as postagens ativas. Então depois de muito pensar, optei por reativar...rs! 

Sandra May/2014



terça-feira, 16 de setembro de 2014

CAIXA DE PANDORA

De tanta repetição
A prece já se converteu em reza
E minha oração,
Arrastada ladainha
De vela queimando mão
Segue seu ritmo
Estranha canção
Feito beata velha
Pano na cabeça, rosário na mão
Prossigo insistindo...
E tal como idólatra clamo a estrela real:
"Sol, fonte de todas as cores, eu só tenho o meu sonhar
Não me leve a esperança
Como em caixa de Pandora...
Deixa meu verde ficar"!

 Sandra May/2014











01 de outubro de 2014


 Aqui encerro o blog Letras que se Movem, com muitos agradecimentos. Depois dele eu sou uma outra pessoa, melhor, entendo assim... Obrigada por você estar e vir aqui, é seu espaço também. A poesia acima fecha o ciclo de Caixa de Pandora, das tags...verde, esperança, amor e desenhos de Alice, rs! Beijos no coração de todos. A partir de então pretendo me dedicar ao blog VOZ DO QUE CLAMA NO DESERTO, a palavra de Deus, que mudou a minha vida.

Sandra May