POSTAGENS RECENTES NO BLOG

INCONFIDÊNCIA MINEIRA E A OBRA DE PORTINARI

A execução de Tiradentes e exposição pública do seu corpo

Tiradentes, o conjurado de mais baixa condição social, foi o único condenado à morte por enforcamento, sendo a sentença executada publicamente a 21 de abril de 1792 no Campo da Lampadosa. Outros inconfidentes haviam sido condenados à morte, mas tiveram suas penas reduzidas para degredo, na segunda sentença. A casa onde ele viveu foi destruída.

Após a execução, o corpo foi levado em uma carreta do Exército para a Casa do Trem (hoje parte do Museu Histórico Nacional), onde foi esquartejado. O tronco do corpo foi entregue à Santa Casa de Misericórdia, sendo enterrado como indigente. A cabeça e os quatro pedaços do corpo foram salgados, para não apodrecerem rapidamente, acondicionados em sacos de couro e enviados para as Minas Gerais, sendo pregados em pontos do Caminho Novo onde Tiradentes pregou suas ideias revolucionárias. A cabeça foi exposta em Vila Rica (atual Ouro Preto), no alto de um poste defronte à sede do governo. O castigo era exemplar, a fim de dissuadir qualquer outra tentativa de questionamento do poder da metrópole.

Tiradentes, ao contrário do que se pensa, não tinha barba e cabelos longos quando foi enforcado, na prisão, onde ficou por algum tempo antes de cumprir sua pena, teve o cabelo e barba raspados para evitar a proliferação de piolhos, a própria posição de alfere não permitia tal aparência. Após a decapitação e exposição pública, a cabeça de Tiradentes foi furtada, sendo o seu paradeiro desconhecido até os dias de hoje.

Foi alçado posteriormente, pela República Brasileira, à condição de um dos maiores mártires da independência do Brasil e como um dos precursores da República no pais



PAINEL TIRADENTES (PARTE)


O Painel Tiradentes é uma pintura a têmpera (tinta artesanal) composta por três telas justapostas, com dimensão total de 17,70 x 3,09m. A obra, concluída em 1949, uma das mais importantes de Candido Portinari, está exposta permanentemente no Salão de Atos Tiradentes. Ela foi comprada pelo Governo do Estado em 1975 e permaneceu no Salão Nobre do Palácio dos Bandeirantes até 1989, quando foi transferida para o Memorial, em sua inauguração.
Nos anos 40, por sugestão de Oscar Niemeyer, o industrial e literato Francisco Inácio Peixoto encomendou a Candido Portinari um quadro para ocupar uma enorme parede no saguão de entrada do Colégio de Cataguases, em Minas Gerais, que havia sido projetado por Niemeyer. O tema era livre. Após a encomenda, Portinari, um dos principais nomes do Modernismo no país, mergulhou neste episódio brasileiro repleto de ideal, sonhos, patriotismo e traição, que é a Inconfidência  Mineira. Consultou livros e documentos da época até tornar-se praticamente um especialista no assunto.
O painel começou a ser pintado em 1948. Portinari teve que construir um ateliê especial, nos fundos da sua casa, para caber a tela. O pintor deu as últimas pinceladas com o painel já instalado no colégio. Nele, de maneira magistral, são representados os principais episódios e os protagonistas da Inconfidência Mineira .
Segundo Antonio Callado, autor de Retrato de Portinari, considerada a melhor biografia do pintor, “Portinari era pintor de uma inesgotável paciência com os pormenores da obra que tivesse diante de si, no cavalete (…) Para os quadros históricos fazia, baseados em suas leituras e pesquisas, esboços, croquis, até se satisfazer com a expressão que devia dar ao rei, ao bandeirante, ao mártir”.
PAINEL TIRADENTES  (OBRA COMPLETA)
Cenas do painel



  1. O Memorial da América Latina é um centro cultural, político e de lazer, inaugurado em 18 de março de 1989 na cidade de São Paulo, Brasil.Wikipédia
  2. EndereçoAvenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda, São Paulo - SP, 01156-001
  3. Telefone(11) 3823-4600

Nenhum comentário

Deixe seu contato para receber notificaçõe por e mail