POSTAGENS RECENTES NO BLOG

DEU FEBRE? QUEBRE O TERMÔMETRO.

Para os pesquisadores mais pé-no-chão, o aquecimento global nada mais é do que a febre de um organismo vivo em condições de enfermidade. A febre não é a causa primeira de um problema clínico, mas um mero sintoma. A Terra está infeccionada pelos ataques de micróbios. A Terra simplesmente aciona seus piócitos, seus mecanismos de defesa, na busca de equilíbrio com seus agressores. Neste momento, somos os micróbios da Terra. Camões pensou o homem como bicho da terra tão pequeno, mas não nos supôs tão nocivos assim.
Qualquer vivente, que se encontre em condições clínicas semelhantes às da Terra, tem dois caminhos extremos a seguir: ou agiganta suas defesas e debela os agressores, recobrando o equilíbrio corporal, ou fraqueja e a doença avança para a septicemia, acabando por se aniquilar perante a moléstia. Vale lembrar que a primeira hipótese é extremamente dispendiosa para o Homo sapiens, pois nos levaria a uma mortandade enorme, talvez só comparável com a peste negra na Europa, durante a baixa Idade Média, quando três pessoas de cada quatro se defuntaram. A segunda hipótese, entretanto, é simplesmente letal para a espécie. Uma vez que, estiolada a biosfera, esta delicada bolha de amenidade que envolve o planeta e dá sustentabilidade aos biomas, seríamos não três, mas quatro de cada quatro que iríamos pro além do beleléu.
.................................................................................................................................................................................................................................................................
E há a massa. A grande massa de alegres incautos, que somos nós outros, correndo atrás das metas comerciais estabelecidas por gerentes gananciosos e escravos de uma engrenagem ríspida. Estes vão contentes, do contentamento de zebu estabulado. E esperam sempre o melhor, mas estão prontos para o que der e vier. Porque o que vier e der não será por outro motivo senão pela vontade de Deus.
E assim vamos nós fazendo piqueniques à beira do vulcão.
Edival Lourenço, postado na Revista Bula

CAOS NA GALÁXIA

Imagem: Caos na galáxia

Imagem da Internet de Ciência On Line

Nenhum comentário

Deixe seu contato para receber notificaçõe por e mail