POSTAGENS RECENTES NO BLOG

FALANDO DE UMA FORTE AMIZADE



A despedida não foi alegre nem foi triste, apenas reticente. Uma enorme lacuna, um vácuo. Olhares sem perguntas nem respostas. Apenas olhos que se admiravam silenciosa e respeitavelmente. 

Houve uma troca escrita de depoimentos e promessas muito carinhosas, mas impossíveis  de serem cumpridas, e de minha parte o transbordar das muitas águas; lágrimas de oceanos bem salgados.


De você não soube mais nada, assim como nada de você esperei. O que houve no brevíssimo tempo em que convivemos ficou oculto em área inatingível para intrusos, apenas nós conhecemos um do outro e guardamos um segredo... somos cúmplices!


Quanto ao amor,  quase exclusivo e eterno...por ser imaculado, por ser irmão, natural e inocente, amor presente em criança quando tudo é alegre brincadeira.  Amor Ágape, o sublime Amor de Deus.


E a  profecia foi cumprida. Você sabe agora que eu escrevo melhor do que palavras ditas às pressas  e saídas de um coração triste pela surpresa do inesperado e da provável saudade.


Foi em começo de manhã, o sol subindo lentamente, quando cravei meu verde em céus da tua terra, céus de azul ultramar. Coloquei meus óculos escuros, um fone de ouvido, entreguei a passagem ao motorista e me entreguei nas mãos sábias do meu Deus. Flutuei livre e liberta, certa de ter realizado o meu melhor e acompanhei o grande rio enquanto foi possível. Certamente muita coisa me esperava. Diante de mim estava o desconhecido e nesse momento fui grata por ser feliz. Fechei meus olhos e adormeci tranquila. Após meses de trabalho longe de casa, eu estava voltando. 

Sandra May

2 comentários

  1. Que bonito, mas reticente ou não despedidas sempre são tristes ainda mais quando as pessoas se perdem no futuro.

    ResponderExcluir

Deixe seu contato para receber notificaçõe por e mail